Monitorização da qualidade dos cursos de água - Elementos químicos e físico-químicos

O projecto “dQa – Cidadania para o Acompanhamento das Políticas Públicas da Água” inclui uma componente dedicada à monitorização da qualidade da água em rios e ribeiras considerados problemáticos.
Nesse sentido, a Quercus procedeu à aquisição de algum equipamento que lhe permitiu constituir um pequeno laboratório para análise de parâmetros físico-químicos gerais, e ao longo do último ano e meio, a equipa do projecto realizou uma campanha de monitorização da qualidade ecológica de sete rios e ribeiras portugueses – Ave, Agudim (conhecida por Ribeira dos Milagres), Almonda, Alviela, Sizandro, Parreiras (conhecida por Ribeira da Laje) e Odelouca.
Com vista ao acompanhamento do cumprimento dos objectivos estabelecidos na legislação e da eficácia das medidas estabelecidas nos Planos de Gestão de Região Hidrográfica (PGRH), toda a monitorização foi realizada de acordo com os parâmetros e critérios definidos na Lei da Água (Lei nº 58/2005 de 29 de Dezembro, que transpôs para a legislação nacional a Directiva Quadro da
Água), tendo incidido sobre diferentes elementos de qualidade, nomeadamente elementos químicos e físico-químicos gerais, elementos biológicos (Macroinvertebrados bentónicos) e elementos
hidromorfológicos (habitat ripário).

Resultados

Os elementos químicos e físico-químicos de suporte aos elementos biológicos integram a avaliação das condições gerais dos cursos de água que incluem a monitorização de sete parâmetros, através dos quais se avaliam as condições de oxigenação, o estado de acidificação e as condições relativas a nutrientes de uma massa de água.
Cada um destes parâmetros tem definidos limiares que permitem classificar o estado ecológico, sendo que, de acordo com a metodologia utilizada actualmente apenas é possível distinguir entre
dois estados, “Bom ou superior” e “Inferior a bom”.
No Quadro 1. Estão representados os resultados obtidos, relativamente a cada um dos parâmetros em todos os cursos de água monitorizados.
Os resultados obtidos permitiram constatar que todos os cursos de água monitorizados continuam a sofrer pressões significativas responsáveis por diversas formas de poluição pontual e difusa.
A monitorização realizada permitiu identificar concentrações elevadas de nutrientes, como o Fósforo e os derivados do Azoto (Nitratos), que resultam sobretudo da aplicação de más práticas agrícolas, com uso excessivo de fertilizantes. No rio Almonda e na Ribeira dos Milagres foram detectadas cargas orgânicas (CBO5) que terão a sua origem na rejeição de águas residuais não tratadas de origem urbana, industrial e pecuária. As cargas orgânicas observadas são particularmente elevadas no Rio Almonda, tendo sido corroboradas pelas condições de oxigenação encontradas em algumas amostragens, em que a taxa de saturação de oxigénio e a concentração de oxigénio dissolvido apresentaram valores iguais ou muito próximos de zero.

 

Quadro 1. Classificação do estado ecológico dos cursos de água para cada um dos principais parâmetros analisados

 

Clique aqui para ver as imagens do laboratório e de saídas de campo para recolha de amostras